Translate

Pesquise no blog

16 de dez de 2012

A CEGUEIRA DO MUNDO


Esta noite resolvi meditar sobre a cegueira... o que leva uma alma a pedir para nascer cega, ou ser obrigada a nascer cega?

Como sempre, não há uma resposta direta, pois o que vai na alma de cada um é um mistério que nem em nós mesmos conseguimos decifrar, mas pude vislumbrar alguns "atalhos" para o aperfeiçoamento da alma que a cegueira pode trazer à tona. Uma delas é a ilusão da independência.

Todos os dias dependemos do trabalho dos outros para viver. Quando ligamos a luz, não lembramos do Thomas Edison e do seu esforço para nos trazer a lâmpada, muito menos dos homens que trabalham nas companhias de energia elétrica para manter a eletricidade fluindo normalmente.

Quando tomamos sonolentos o ônibus às 7h da manhã, não percebemos que o motorista está acordado desde as 4h da manhã para fornecer esse serviço não só pra ele, como para o trabalhador de acordou às 5h.

Esse é apenas UM exemplo dos milhares que encontramos, e pelo menos DEVERIA nos fazer perceber o quão complexa é A vida, que é muito mais do que seu umbigo ou seus familiares.

Infelizmente, na maioria das vezes somos cegos para essa realidade, e em casos extremos somos insensíveis até mesmo ao que podemos ver, ouvir e tocar dentro das nossas próprias casas. Cegos à tristeza do irmão, ao choro da mãe, às dificuldades por que passam nossa empregada, pai, amigo, chefe...

E vem a cegueira, mostrar o quão delicado somos, o quão belo pode ser o mundo, quando nos prestamos a abrir os sentidos a ele. O cego, na impossibilidade de ver, desenvolve os outros sentidos que não só a audição, olfato, tato e paladar.

Desenvolve a intuição e, principalmente, o coração.

Às vezes nos cegamos para o mundo, metaforicamente falando, para não termos de ver certas coisas que nos desagradam. Mas pode também acontecer de, em momentos de tensão, isso refletir no físico.

Seja parcialmente, (como na amaurosis schacchistica, a cegueira enxadrística), ou totalmente, como a cegueira psicológica, causada por uma desordem de conversão.

As causas estão claramente no espírito (ou mente, como queiram), e o corpo - pacientemente - obedece.

Poderíamos levar esses exemplos à metafísica para explicar a cegueira congênita, com traumas herdados de outras vidas que refletem no molde perispiritual que vai dar origem ao corpo físico, ainda no útero.


É antes de tudo emblemático que Jesus tenha vindo para curar cegos e reviver os mortos. Como ele mesmo disse:

Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem se tornem cegos. Alguns fariseus que ali estavam com ele, ouvindo isso, perguntaram-lhe: Porventura somos nós também cegos? Respondeu-lhes Jesus: Se fosseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Nós vemos, permanece o vosso pecado (João 9:39-41)

O cego pode viver independentemente, mas precisa de um suporte especialmente criado pra ele: bengala, cachorro-guia, livros em braile, software de leitura, sinais sonoros, etc. A sociedade considera o cego um estorvo, um incômodo, porque a cegueira deles nos "mostra" o quanto as calçadas são esburacadas, o desrespeito institucionalizado para com o cidadão, os motoristas que atropelam na faixa de pedestres, a falta de estrutura para os mais velhos ou mais lentos que o "normal", etc. Deficientes não são "estorvos" em países de primeiro mundo, e a tecnologia pra isso existe, basta querer gastar mais com o cidadão do que com os banqueiros...

Mas, e nós, que "enxergamos", também não dependemos de um suporte especial para viver?

Experimente retirar todas as mordomias às quais estamos acostumados desde que nascemos, e nos veremos perdidos!

Vivemos cercados de muletas, acessórios que nos empurram a uma direção, um jeito de ser.

Não somos nada diferentes de um deficiente visual, apenas a "Matrix" está mais adaptada aos que possuem os 5 sentidos. Só que, estar de posse de mais sentidos não significa possuir mais sensibilidade ou liberdade.

Imagine-se por um momento completamente cego. É pavoroso! A sensação de impotência, o desespero... afinal, você nunca espera ficar cego, você não costuma treinar a audição, o tato, você provavelmente nem saberia andar em sua própria casa na escuridão total.

O abandono causado por tal situação nos faz procurar ajuda, nos faz (finalmente) enxergar o semelhante.

Não lhe posso dar
O que já existe em você mesmo.
Não posso atribuir-lhe
Outro mundo de imagens
Além daquele que há em sua própria alma.
Nada lhe posso dar a não ser
A oportunidade, o impulso,
A chave.
Eu ajudarei a tornar visível
O seu próprio mundo.
É tudo.
(Herman Hesse)

Fonte: Saindo da Matrix

http://despertardegaia.blogspot.com.br/

...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou do post ? Comente !

O visitante tem liberdade para se expressar sobre os temas ou assuntos publicados neste Blog, porém não serão aceitos:

1. Comentários considerados difamatórios e ofensivos, contendo linguagem imprópria e deselegante;

2. Comentários que, por sua publicação repetitiva, tenham a intenção de “boicotar” o tema em foco;

3. Comentários referentes a artigos reproduzidos de outras fontes e direcionados aos autores, bem como não serão reencaminhados à fonte original, sempre citada no blog.

4. Comentários contendo Links promocionais de sites ou blogs. E-mails pessoais, telefones de contato.

5. Comentários Anônimos.

Tentarei responder seu comentário mediante disponibilidade de tempo.

Obrigado ! Paz e Luz em Gaia

...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

♥ Postagens Recentes

♥ Postagens Populares

Comentários Recentes


X Files - Maravilhoso e Atemporal - Assista, clique:

Alienígenas do Passado - Todas Temporadas Assista, clique: